Domingo, 15 de Fevereiro de 2009

Anjo

Era somente,

alguém,

que compunha alimento,

pelo tempo.

Era só,

 um fólio voando,

um ente acreditando,

um servil esperando.

Despontou uma flâmula,

e nesta um apelo,

ficou,

eterno selo.

Traços unidos,

um raciocínio num efeito,

embutimento,

no meu peito

E se colmatava enxergar,

era a bruma,

simples anunciar.

Sim!!!,

incertezas eram nada,

ali estavas,

despontada.

Mas não, eras sim,

anjo e luz,

meu ressurgir,

ama do meu sentir.

Asas límpidas,

esperança pureza,

vida minha,

em ti,

clareza.

Flipe

 

publicado por flipe às 19:41
link | comentar | ver comentários (16) | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 49 seguidores

.Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Anjo

. Ainda acordado, adormeço....

. A manhã acorda..

. O SOl nasce...

. A noite cai..

. Abraço

. Assim...

. Praia deserta...

. Ser

. E estou...

. Se aqui não sou...

. Saudades de um mar...

. O dia acorda...

. Estarei acordado..?

. Noite fria...

. Olhei nos céus...

. Será loucura?...

. Pingo de porcelana...

. AMOR

. E mais uma noite se passo...

. O Sol brilha...

. Brisa do mar..

. Este rio de mar...

. Oh mar bravio…

. Pingo de mel…