Terça-feira, 10 de Fevereiro de 2009

O SOl nasce...

O sol nasce,

e uma corrente parte-se,

agora,

apenas um fim,

ser contigo,

seres comigo.

Pelo teu sopro,

as velas do navio ergueram-se,

a âncora levantou,

e em muito tempo,

navegou,

una direcção,

destino,

teu coração.

Ainda pesa, o casco quebrado,

por ti restaurado,

ainda lento,

vai o vento,

do meu assoprar,

do nosso esperar,

mas em breve,

o toque virá,

o canto soará,

e não mais haverá porto,

nem aportar,

apenas um eterno amar.

flipe

 

tags: , , , ,
publicado por flipe às 18:19
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De miúda a 10 de Fevereiro de 2009 às 21:28
obrigada por este poema, necessitava deste sol nascente que falas, necessitava de esperança que de certa forma me deste por estas palavras...obrigada...
beijinho***
De flipe a 11 de Fevereiro de 2009 às 09:37
Nada tens d agradecer "miuda", de nada mesmo... e esta experança é e será uma verdade, em ti, em mim, em nós, assim, o vento vier, e nos levar, ao ser esperado, ao esperado amar... tudo será, em dimensão do nosso coração, num dar e recber, numa perfeita junção-- Beijinhos e obrigado eu, sempre.... sempre
De branca a 10 de Março de 2009 às 02:44
Lindooo....como é bom quando nos soltamos das correntes que nos impede de navegar rumo ao amor....em direçao ao coraçao de alguem, sem medo, das tempestades, dos contratempos e dificuldade, com uma unica certeza que demore o tempo que for vamos chegarrr

Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 44 seguidores

relojes web gratis

.Agosto 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
29
30
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Simplesmente não consigo

. Sopro o agora

. Morrer

. Poderia partir

. Não consigo

. Cerca-me um medo

. Seguro-me

. Por entre linhas

. Lágrimas

. Não sentir

Hug
Photobucket