Terça-feira, 16 de Dezembro de 2008

Este rio de mar...

 

Este rio de mar,

este Tejo de cada dia,

diferente entropia, desconhecido estar.

Poderia mil anos em ti,

olhar-te e conhecer-te,

seriam iguais dias, a rever-te.

Se em liberdade, migro no azul,

é na noite que salto do sul,

e no chapinhar de luzes soltas,

escrevo na pauta, a melodia do desenho,

a pintar no amanhã.

Se tudo se ergue no nascer,

no entardecer, o costura decai,

e o pano, parece pequeno,

para encobrir, o desejo de te descobrir.

A parede aumenta, o suave toque de um beijo alheio,

é pauta de flauta, de compasso laço,

que pica vibrando, que estremece ficando.

O resguardado assento,

serve de tento, de aconchego,

e uma caixinha de um sonho,

solta-se querendo, que ali já estejas,

e que no nosso acolher,

se faça abraço, amor,

deste anoitecer.

 

publicado por flipe às 18:14
link do post | comentar | favorito
8 comentários:
De Anónimo a 16 de Dezembro de 2008 às 21:51
Olá... já tinha saudades de ler um novo poema teu... esse rio de mar que tanto olhas e contemplas, que tanto tentas desvendar e questionas, está carregado de mistérios, de segredos, de tristezas e de sorrisos... porque em cada olhar há um sentir diferente, uma outra maneira de sonhar, de querer, de ser de estar... esse pano é pequeno para encobrir tamanho amor, que o teu coração transborda genuinamente... que esse pano caía defintivamente e que um ser descubra esse grandioso sentir, que, carinhosamente envolve o mundo que te rodeia... que os sonhos que partilhas com esse rio de mar se tornem numa realidade indestrutível... que amanha o sol te sorria infindavelmente e para sempre e que o céu seja reflexo vivo desse amor desse querer apenas ser amado e amar...

Beijinhos Filipe, e um xi-coração apertadinho...
De flipe a 19 de Dezembro de 2008 às 09:53
olá bom dia... obrigado por tanto, por tudo, q deixas vir d ti, até mim... tantas palavrinhas, tantos sentimentos, tanto em cda letrinha... e este rio? esta beleza, esta maravilha do mundo... é realmente tudo isto, mas é também um reflexo cristalino, daquilo q somos, da forma como estamos, e será um dos melhores espelhos p nos mostrar como estamos... Se o amor aí se propaga exponencialmente, também as lágrimas, a solidão, ai manifestam se de uma forma ainda maior, ainda mais presente... pois tudo ali se assume como algo único, intemporal... Assim, aquele será o retrato ideal p o encontro, d kem tanto espera por akele momento... Obrigado por o desejares tão fortemente p mim, tb o desejo, muito, muitissimo, k o alg k esperas t encontre e te ame, por tudo aquilo que és... por tanto q és d tão maravilhoso e único... especial... obrigado por tanto carinho, lembrança... qd eu... ás vezes n dão tanto k dvia dar a ti, a tantos q aqui querem ser.. obrigado e muitos, muitos beijinhos... um abraço do tamanho d mundo
De soflor a 17 de Dezembro de 2008 às 20:59
De flipe a 19 de Dezembro de 2008 às 10:00
um beijinho de um sol, num sonho de um arco íris, numa flor d amor... imagens d mil sentimentos, imagens d um kerer tanto dizer... imagens q entram no meu ser, e se cravam neste coração... obrigado "minha" flor... q o teu jardim, n seja esta soflor, mas esta flor, com tdas as flores q mais desejares... beijinho de um bom dia, de um sempre nascer, de um cda dia, em q mil possibilidades s mostram, kerem ser... k tudo seja, impregne no amor, k és, k keres dar, k keres receber... beijinhos e um abraço d mil cores.. consoante dele precisares...
De SandrinA a 17 de Dezembro de 2008 às 21:56
Gostei do texto! (:
Beijo.
De flipe a 19 de Dezembro de 2008 às 10:04
obrigado Sandrina... muitissimo obrigado... k neste Tejo, k em qq rio q abarque junto d ti, seja espelho, de tda a felicidade q te presencie, e q o seja igualmente, no amor, k és, k dás, e k recebes... beijinhos e obrigado.... q o teu dia, seja em tudo, sol. d luz, d paz, d alegria...
De miúda a 17 de Dezembro de 2008 às 22:24
mantiveste-te ausente regressando com um novo poema cheio de vida e brilho. o tejo será sempre o tejo beijando delicadamente uma lisboa contrastante e em permanente mutação. é no que nos rodeia que vemos o melhor e pior da vida, mas é sempre melhor ver com mais clamor as coisas boas, porque essas invadem-nos e completam-nos, mandando embora qualquer vazio que possa estar a mais. um beijinho de mim... para ti :)
De flipe a 19 de Dezembro de 2008 às 10:10
A ausência... ? é verdade, motivos... talvez o pouco tempo, talvez um estado diferente, n sei bem... o Tejo? um sempre apoio num dia q começo, num dia q termina, numa esperança q abre, numa certeza q amanhã q termina... as suas águas? este brilho único, de mi, cores, d mil afectos... o sonho? um abraço no seu espelho, o encontro no seu aportar, o amor no seu esplendor... um dia? sim... E assim, o desejo p ti, talvez n neste Tejo, noutro rio, noutro mar, em qq retrato, pk é amor, é amor, independemente dd seja... independemente d td... perfeito, único, intemporal... a razão d sermos e d existirmos... obrigado pelas tuas palavras.... dspa... s n estou tanto qt kria e dvia junto d ti... q o restart seja verdadeiro em tudo, nas mudança, na liberdade p um novo voar... um beijinho, mt especial e mim, p ti...

Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 44 seguidores

relojes web gratis

.Agosto 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Morrer

. Poderia partir

. Não consigo

. Cerca-me um medo

. Seguro-me

. Por entre linhas

. Lágrimas

. Não sentir

. Morrer

. simplesmente caio.

Hug
Photobucket