Quarta-feira, 8 de Outubro de 2008

incompreensão.

Sorriram, e eu…

não sorri.

Olharam, e eu…

não olhei.

Quiserem ser,

e eu…

não fui.

Não mais serei,

o que não sou,

não mais direi sim,

ao que de mim,

é não.

Outrora fui molde,

cambaleando,

entre o suposto social,

entre o grito,

modal;

hoje,

sou uma mero menino,

despido,

a um cantinho,

brincando sozinho.

Pego no meu lápis,

e na parede,

escrevo amor,

faço da luz,

a sua cor,

e da paz,

o seu pendor.

Com isto,

muitos não olham,

outros, duvidam,

outros, dizem-me para crescer,

outros ainda,

parecem-me compreender;

o que sei,

é que de todos,

haverá um ser,

que reconhecerá,

no meu aguardar, o seu esperar,

no meu pintar, o seu amar,

na minha pintura,

o seu assinar,

em tudo,

o seu estar.

 

flipe

 

publicado por flipe às 21:57
link do post | comentar | favorito
|
12 comentários:
De aquela a 8 de Outubro de 2008 às 22:12
Boa noite!
É verdade, por vezes somos aquilo que nunca fomos para parecer bem, ou mesmo, talvez, para defenir a "normalidade" (apesar de não existir) na sociedade.
Mas devemos ser aquilo que realmente somos, se não quisermos rir de uma piada, não rimos. Não somos obrigados, não existe regras na sociedade que o obrigem. Então porque as vezes, algumas pessoas o fazem?!
Aliás se todos fossemos iguais, não existeria a tal diferença que deve existir.

Incompreendido?! Talvez, por alguns, por aqueles que não querem pensar na diferença e limitam-se a copiar a forma de ser dos outros.
Aprendi que não me devo moldar aos outros, talvez essa tenha sido a maior lição de vida que já tive! :)

Beijinho.
De flipe a 9 de Outubro de 2008 às 22:05
olá... n sei porque é q tanta gente cotinua nessa farsa, de papeis, d ser o q n são, d fazerem o q n kerem fazer... as tais regras, socias, q nda sou... mas q tantos condicionam, e q tornam, exploradores da felicidade, qd esta imerge somente d cda um, qd esta está em nós, em sermos o q somos, em seguirmos o q sentimos... O n ter q s moldar aos outros, complicado ás vezes, qd a necessidade d integração, d pertença, surge, mas como tu, outrora, fui um pouco molde, hj, sou apenas água, ohando vês o q tenho, o q sou, o q sinto... mas, muitas vezes esta água acumula, ferve, e "sozinha", por vezes pinga, krendo pingar, no abraço esperado, mas por n haver pinga o q doi, e volta a encerrrar a rolha, onde novas tarefas a esperam... Obrigado pelas tuas palavras, são verdadeiramente o q sinto, o q penso, n sejamos o q n somos, mas esforçemo nos p ser o q somos, e p melhorar o q somos, pois como poderemos melhorar o q somos, s n o mostrarmos... beijinhos e obrigado, sempre... e por vires até "mim", e por deixares tão doces palavras, e m alimento, e m sacio... beijinhos
De aquela a 10 de Outubro de 2008 às 18:00
Algumas pessoas gostavam de ser alguém, então acabam por imitar alguém, e fingem que são assim. São falsas, com os outros e consigo mesmas.Mas a medida que o tempo vai passando, aprendemos a ser como somos, e a não moldarmo-nos.
Podes pensar que não, mas em tu o que tu dizes, é como se eu o dissesse. Encaixa em mim. Quantas vezes já "fervi" essa água, e quantas vezes já fechei essa rolha!
De nada! Obrigado eu, por seres tu tão sincero. E verás que um dia seremos mais e melhores, pois a vida nos ensina.
Beijinho! E obrigado eu, outra vez!
De flipe a 10 de Outubro de 2008 às 20:40
Verdade aquilo q dizes, e tb acredito, um dia seremos mais e melhores... mais seres de um ser de estar, e não somente, num representar... Fervemos, sim, demais, e só no limiar, deixamos, levantar, essa rolha... mas ... sós... como q se apenas nós soubessemos acolher esse sofrer... no entanto o dia chegará, o ser virá, e o nosso amor, poderá amar, e viver, sem contenção, sem solitária emoção..
beijinhos e obrigado... sempre obrigado...
De aquela a 10 de Outubro de 2008 às 21:56
Temos de mudar sempre para melhor, eu acredito nisso.
Parece que ninguém nos compreende e vivemos ali naquela solidão, com aquela "rolha". Claro, o amor terá que vir, mais cedo ou mais tarde, mas terá de chegar, e aí, sim, seremos compreendidos e verdadeiramente felizes.
Bijinho e obrigado eu!
De miúda a 8 de Outubro de 2008 às 23:35
porque há dias em que me sento do contra, mergulho em mim e regresso aos momentos em que fui mais feliz, e curiosamente é na infância que me sinto mais segura. porque hoje também eu estou num dia de saudade. saudade da infância e da inocencia que os outros veem quando me olham mas que eu não consigo ver.. Na idade dos sonhos tudo é possivel e a nossa metade está ali ao virar da esquina. pena que quando crescemos não esteja mais ali aquele cúmplice de brincadeiras, de jogos, de travessuras, prontinho a completar "o nosso amar, a nossa pintura, o nosso assinar, o nosso tudo em todo o seu estar". mas inesplicavelmente estamos somente ali. assim como tu passaste a estar para mim a cada poema, que contra qualquer razão plausivel , parece transformar em poesia o que me vai na alma. nada de grandioso ou eloquente te consigo dizer. hoje estou enlameada e suja demais para ser digna de ti... desculpa...
um beijinho e mais uma vez.. desculpa
De flipe a 9 de Outubro de 2008 às 21:41
dizes "...para ser digna de ti", "assustas-me", com estas palavras, fazendo de mim, algo perfeito, totalmente puro, quando eu.. tantas vezes, tantos momentos, erro, penso aquilo q n devo, digo aquilo q n devia ter dito, sou o que n devia ter sido... enfim, alguém q muito precisa de aprender, de mudar, de curar muitas imperfeições q muitas vezes m fazem abalar, condicionar... Idade dos sonhos... jamais deixarei d sonhar, jamais deixarei d krer ser criança, na sua ingenuidade, na sua simplicidade... na sua liberdade... N tens k m pdir dspa, "miuda", por nada, eu é q tenho d dizer obg, por teres vindo até mim, por tanto q tens deixado fluir até mim... cm disseste, tocamo-nos, num reflexo, q parece krer, levar-nos, até onde n sabemos, pediste m o coração, e eu dei to, abriste me o coração, e eu espreitei, e de tão belo, tão delicado, me "apaixonei"... envolvi me nas tuas palavras, no teu eu, e embora sentindo como tu, tão próximo, mas tão oco d ti, tão necessitado d ti, do q m fazes sonhar... e no reflexo, mais acreditar...Infância... dizes ter saudades desta infância... sabes? axo k tens saudades da liberdade, d poder dizer, sem medir, sabendo, q tdos t compreenderiam, sabendo q nda adaviria, q t magoasse... é esta liberdade, e este ser, q espero, p q ambos, sejamos novamente crianças, onde um e outro, sejam, transparência... n q o n seja, hj, no mundo, no dia a dia, mas dizer certas coisas, é gritar no vazio, num retorno muitas vezes de mágoa... d "diferenciação"... Dizes q em ti vêm inoçência, acredito k sim... pois acreditas no amor, pois és regida por esse tesouro q em ti bate, p outros, p muitos, ainda n cresceste, ainda és inocente... p mim, cresceste, e muito, p mim, és talvez um rflexo da minha procura, és certamente um ser, n sujo, n elameado, mas apenas condicionado, por muito q n desejas, k n keres, mas k em momentos t deixas ir, voltando rapidamente á luz q em ti brilha... és no fundo, uma menina, q vai sonhando, e q acredita, e q espera, mas num traço, de eloquência, d mágoa, de instante queda, provas o q n keres, sabendo aposteriori, ainda melhor o q desejas, o q aguardas, o q esperas... beijinhos e obrigado, por tanto deixares m tocar... flipe
De Princesa a 8 de Outubro de 2008 às 23:44
Oi

Gostei do poema e da mensagem nele implícita...

Bjs
De flipe a 9 de Outubro de 2008 às 21:55
olá.. obrigado por teres gostado, e pela mensagem, q somente diz, sê o q és, segue o q sentes, e n sejas actriz, mas personagem, da tua propria vida... obrigado, e beijinhos
De Anónimo a 8 de Outubro de 2008 às 23:46
Tu és simplesmente lindo... por isso é que tudo aquilo que escreves é simplesmente maravilhoso... obrigado por cada palavra que deixas fluir até mim... pedi-te para me falares de amor e tu fizeste-o como nunca antes ninguem o tinha feito... " o coração baterá por quem ama, pois esse jamais desvia o bater de quem ama, de quem trás o ritmo da sua frequencia...do seu viver", que mais posso eu dizer?? ... se tu soubesses o quanto são importantes as tuas palavras na minha vida... se tu soubesses o quanto me ajudam a caminhar... a perceber melhor o que é o Amor... a crescer... a erguer a cabeça... se tu soubesses.... obrigado por tudo e obrigado mesmo... sim, de certeza que há um ser especial escondido talvez num botao de uma rosa que espera po momento ideal para se revelar... e esse ser amar-te-á por aquilo que tu és... comprendo o que dizes... vivemos num mundo de aparencias, em que todos se imitam uns aos outros, em que se perde a identidade unicamente para se ser um outro ser... ainda bem, que és como és... beijinhos e boa noite e.... mto mas mesmo muito obrigado por seres assim.... apenas tu!
De flipe a 9 de Outubro de 2008 às 21:53
"Tu és simplesmente" linda... q hei d eu dizer senão retribuir... senão dizer q sim, q obrigado, q mt obrigado, mas são tão grandes os elogios, q m fazes, q m parecem tornar alguém tão unico, tão especial, qd eu, sou apenas um alg, um alg q diz sim, aquilo q somos, e ao alimento q nos alimenta, e q faz o q somos - amor. Fico mt fliz, por as minhas humildes palavras terem tamanha ressonância, em ti... são n palavras, mas apenas eu, q mtas vezes após um dia cansado, deixa sentir, deixa o abraço, submergir, até aqui... E sim, tdos dias grito Liberdade, n na diracçãoq tantos tomam esta chave, mas no poder voar, no ser o q sou, no dizer sim, a cada sim q sou, no ser vidro, e não algo esfumado, q poucas vezes mostra verdade... Tenho a certeza, q em ti mora, um pomar de mil frutas, cada uma mais bela, mais saborosa, mais delicada, mais, mais, única... haverá um ser p ti, um ser q tão carinhoso cm tu, saberá tomar e retribuir, na igual dimensão d amor, q tens... E nada proclamo d novo, de "descoberta", mas apenas faço juizo, ao nosso ritmo, e oiço o seu bater, e cada batimento, ouço dar amor, nos intervalos, ouço receber amor... é somente isto, dar e receber, amar e ser amado... tão simples, e tão complexamente segurado... ouvir o bater, e qd este der sinal, segue o... é certo q muitas são as condicionantes, as pedras q fazem doer, as encostas q parecem n ter fim... mas haverá uma planicie, uma praia á frente, onde um alg t espera, krendo levar te ao colo, abraçado a ti... Obrigado.. e beijinhos
De caminhante a 9 de Outubro de 2008 às 23:50
quero brincar contigo...

Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 42 seguidores

relojes web gratis

.Abril 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. O Fim.. e o renascer.

. Docemente...

. simplesmente caio.

. Os dias escorrem..

. Brisa

. Inspiração

. Só.

. Acordo, e abraço-me.

. Aqui estou...

. onde estás.....? quem és....

Hug
Photobucket