Domingo, 24 de Agosto de 2008

Sinto frio...

Sinto frio…

a noite foi confusão,

o deitar, interrogação,

o acordar…

um querer chorar,

não por tristeza,

mas por não poder-te amar.

Se num só deslizar,

me fizesses tocar,

eu romperia,

numa incessante choraria.

Os olhos, vermelhos,

de um ofegar,

que quer explodir,

mas não tem,

a quem dar.

Levanto-me, sim, sempre,

confio, acredito, sim, sempre,

mas até o horizonte, que se faz aproximar,

envolve-me num indeciso rumar.

Sem algibeira a dar, o nada ganhar,

sem força de ser,

um sítio, que já vi sofrer,

faz-me questionar, e recear.

Mas eu peço-te,

se escutas, se és tu,

vem, eu preciso da tua mão,

do teu ombro, da tua paixão;

eu que sou liberdade,

inteira verdade,

mas também prisioneiro,

de um amor verdadeiro.

 

Filipe

 

publicado por flipe às 13:38
link do post | comentar | favorito
|
7 comentários:
De Melody * a 24 de Agosto de 2008 às 14:55
Mais uma vez as tuas palavras fizeram com que pequenas lagrimas saiessem dos meus olhos.
Sinto que já não há nada que te possa dizer, que explique tudo isto.
Escreves com tamanha grandeza, alma, sentimento, coraçao.
A pior coisa é querer amar, quer dar tudo de nós, querer sentir, querer dar a mao, querer abraçar, querer chorar..e mesmo assim não poder faze-lo com a nossa " alma gémea"
Ter tanto para dar, tanto para amar...e não encontrar.
Todos os dias a mesma interrogaçao aparece, todas as noites paira na nossa cabeça.
Quando olho as estrelas sabes o que penso? " Ele pode estar a ver o mesmo pedaço de ceu que eu" =')
é aí que uma lagrima cai, sem que ninguem a possa apanhar....

Sempre que me sinto triste, zangada, irritada ou cansada é aqui que venho, venho ler e sentir, ler e chorar, acalmar.
é aqui que venho, já me sinto dependente de tudo o que passas por palavras.
De todos os seres que conheço, és o mais bonito, interiormente, ainda não te vi pelo exterior, mas interiormente és o ser mais bonito, nunca vi ninguem carregar tanto amor num so coraçao.
Obrigado por tudo, eu é que agradeço.
Assim que entro aqui é como se entrasse num mundo..mágico.

Beijinhos ='')
De flipe a 24 de Agosto de 2008 às 21:26
Primeiro, sou obrigado a comentar esse tamnho elogio, que custa me até a envocá lo, serei esse ser dos k conheçes o mais bonito... eu sou apenas um ser, que provavelmente conheces bem demais, bem demais o meu senir, talvez por issso o axes o mais bonito, mas acredito que muitos, muitos, haverão mais bonitos que eu, em que eu nem sequer terei a grandeza de os perceber e interpretar. Mas equanto n surge, alguém ainda mais bonito, que te faças imergir, sorrir, sorri comigo, e navega nas minhas palavras, no meu humilde sentir... e voa comigo, em cada sonho meu, segura a minha mão, em cada força q deixo aqui para quem quiser tomar. E nunca, nunca t deixes zangar, qd assim estiver p acontecer, lembra te, d sorrir cmg, lembra te que eu disse que esse interior tão lindo n pode tar zangado, pk n podes ofuscar uma luz tão pura e sincera. E sim, olha nos céus, nas estrelas, e deixa refectir o teu iluminar, pois sei que és uma estrela, que um dia cadente te tornarás, e realizarás um sonho de um ser, que esperava por ti, p amar, e para ser. Deixa reflectir a estrela que és, para q o que esperas a possa ver...
E ........ obrigado, muito, muito obrigado, és realmente uma flor, tb um pekenina flor, mas de uma dimensão, de uma beleza, de uma maturidada, imensurável, imensamente bela.... beijinhos e obrigado, sempre obg...
boa noite e tudo de bom.
De Melody * a 24 de Agosto de 2008 às 21:33
Mais uma vez chorei com o que me disseste.
Flor, estrela? Como?...Talvez um dia brilhe como tu me dizes =')
Acredita que sorrio quando entro aqui, acredita qe estes simples poemas sao mais do que imaginas para mim... e sim para mim és o ser mais bonito que alguma vez encontrei, com quem nunca toquei ou abraçei, mas és certamente o mais bonito e puro =')
Eu sorrio contigo ='')
Beijinhos e obrigado por tudo que me fazes sentir
De ρøετïṡα αṉαṡøɾ a 24 de Agosto de 2008 às 15:09
Eu ontem estava num telhado ,
vivo azul e vermelho estiolado
E as lagrimas começaram a correr como o fado ...
De estares sempre aqui mas nunca amarrado .

Sei sim talvez sou ocomo o vento ,
O vento só abana flor e eu sou ausencia
De tudo o que o mundo tem o meu sonho efemero ...
E eu senti a tua presença ...

Eu ontem chorei um rio que deu á luz ,
O mar onde me viste ondear nestas palavras ...
Porque cada palavra que leio a ti me conduz ...
Mas eu fujo porque sou almas vagas ...........

Eu ontem pedi que estivesses ali
Onde o céu tocava com uma mão a tua face ...
E me levava sem fim ...
Se ao menos a tua pele em mim ficasse .........

Eu oiço e escuto sem poder ,
E cega me acho no mundo de dor e tristeza ...
Não pertenço a nada mesmo querendo pertencer ...
Porque sou tudo menos a beleza ...

Sou prisioneira de sonhos curtos ,
E sou a realidade dos pesadelos pesados ...
Tu és o mundo que me escuta de entre os surdos ...
Vamos caminhando juntos num caminho separado..

Se choras eu senti as gotas a pendendo ,
Sim sou a quimera dum existir que quer -te vendo ...
E naquele jardim naquele momento ........
Vi a pessoa que se esconde do vento ....





De flipe a 24 de Agosto de 2008 às 21:14
Poetiza... assim te denominaste, e em verdade o és... maravilhoso este poema, que deixaste escorrer desse teu interior igualmente lindo. Não sejas prisioneira, mas liberdade, num sonho, numa esperança, não chores, colhe cada lágrima, para quem há de chegar, kem há des conhecer, kem há há des amar. Sobe ao telhado, sim, mas grita, grito pelo que esperas, perante a noite acolhedora, e fá los por jardins, por rios, por ruas, por lugares só por ti sentidos... e envoca a esperança, a sempre preserverança, e acredita, num amanhã, numa total libertação, num seres, amor e paixão. E ouve o vento, apaga a quimera, deixa te viver, iluminar, deixa te mergulhar numa paz verdadeira... e sê, sê o que és... o qt podes ser. Q td o k desejas seja no amanhã realidade, q qd chorares por esses telhados, o que esperas passa no escoar destes, e receba toda essa água pura, que apenas espera por baptizar um esperado amar. Sei que um dia o encontrarás.
Beijinhos e obrigado, pelo maravilhoso comentário.
De Anónimo a 24 de Agosto de 2008 às 18:01

Tudo o que escrevo é fruto dos sentimentos que habitam incondicionalmente o meu interior… todas as minhas palavras são pedaços de mim e do meu coração, muitas vezes mal entendidas por outros seres que me rodeiam, mas tu pareces entende-las tão bem estando longe de mim… porque tu sentes, porque tu sofres, porque tu sonhas, porque tu vives, porque tu amas e queres amar sempre…
É tão complicado gerir todo este turbilhão de sentimentos, de sensações, de emoções que vivo diariamente. Confesso que por vezes vacilo, e são muitas as vezes que deixo a palavra desistir ganhar forma, que a deixo apoderar-se de mim, porque me sinto perdida neste caminho que parece não ter fim… este caminho da minha vida que me levará ao verdadeiro amor, á verdadeira felicidade… porque é tão difícil caminhar sozinha, é tão difícil… ás vezes sinto-me sem forças para continuar a batalhar, sinto-me uma flor que sem água começa a deixar-se morrer, embora não queira, mas não tem ninguém que a regue, que olhe por ela… são tantos os meus momentos de fraqueza, em que as certezas são muito poucas num mar de dúvidas constantes… não sei se quero continuar a caminhar, ou parar definitivamente e permanecer ali para sempre… não sei se quero que me enxuguem as lágrimas ou que mas deixem correr eternamente até secar o meu leito… não sei se valerá a pena continuar a amar e a desejar ser amada…por momentos sinto que não sei nada… Mas, e como quase sempre, há sempre um mas, de repente todas estas incertezas, todos estes não saberes dissipam-se, são como que levados pelo vento para um lugar longínquo… olho o céu e nele vejo uma nova esperança a nascer, um sorriso, um anjo que me diz: vai em frente, não desistas… e renasço de novo, volto a ter vontade de amar, de ser feliz, de sonhar, de sorrir… recebo do sol um dos seus raios que me dá forças para retomar o meu caminhar, que me dá forças para acreditar que tudo mas mesmo tudo o que acontece na nossa vida vale a pena… todos os momentos de felicidade, de tristeza, de duvidas, de inseguranças, ajudam-nos a crescer e a encontrar o melhor caminho a seguir… tu és esse céu, esse anjo, esse sorriso, esse raio de sol, esse vento que neste momento me dá forças para continuar a acreditar, que me faz sonhar…
Obrigado…
Também sinto um frio, um vazio, um querer chorar por não poder amar… mas quero acreditar que um dia poderei fazê-lo, um dia poderei amar sem limites, sem medos, sem tristezas… tal como tu amarás e serás feliz… talvez, o momento certo ainda não tenha chegado… mas um dia o vento que se encarrega de nos levar os medos as duvidas, terá um amor verdadeiro para nos oferecer… este teu poema tocou-me muito, é o esplho do que sinto...
Beijinhos e bom resto de domingo…
De flipe a 24 de Agosto de 2008 às 21:06
È tão verdade o que dizes, realmente é assim que me sinto tantas vezes, sinto diferentemente de muitos, e quando os abordo, faço-o delicademente, como se me fosse estranho, o seu pensamento, mas por vezes deixo-me ir, fluir, e parte das vezes, o retorno é realmente uma total imcompreensão, uma total diminuição, como se o que nós sentimos, fosse algo de a arrancar, a destilar.. e outras vezes são puras espadas que nos penetram, e nos fazem simplesmente silenciar, por nada interessar, falar.
Depois, eu sei que o amor, é um tudo, eu sei que caminhar solitariamente, doi, muitas vezes, mas também sei que a felicidade, está dentro de ti, e esta podes deixar imergir, mesmo esperando... pensa que é uma forma de te preparares, de fazeres florir a flor que és, para que com a chegada, do teu "D. Sebastião", que consolide, e te faça explodir de um estado completado, em tudo amado.
E depois disto, dizes me autêticas pérolas, que suavemente passo uma a uma, pelo meu coraçção, serei um anjo, um céu... n devo ser, pois tanto erro como tu dizes errar, tanto mesmo, serei certamente um alguém, como tu, que sente, que espera, que tem um algo p dar, para receber... mas obrigado, a ti, que nem o nome sei, mas que tanto já sei... E o caminho, pode ter espinhos, ter buracos, mas sempre, sempre, o seguirás, pois acredito e tenho a certeza de que haverá quem te guie, te protega, te aconcelhe, e que essa luz, que eu sei que tens dentro de ti, brilhe, brilhe mais alto do que os céus, e ilumine quantos de ti dependarão... acredito nisto, pois todo esse amor, essa paz que deixas escoar, quem perto de ti estiver, colherá tudo isto... e tu saberás que falo em verdade, pois certamente que já o t terão dito, o qt especial és. E segue, segue sempre, acredita, voa, mais alto, menos alto, depois daquela montanha, que se alberga em tua frente, surgirá, uma planicie de verdes esperanças, de azuis belezas, de um amor de sempre... E sei, e tenho a certeza q tudo o que teu coração expira, para realizar, um dia acontecerá... agora não te esqueças, procura a magia que tens dentro de ti, deixa a a crescer, ser, e um dia, um dia virá aquele que entrará nesse teu interior, e juntos farão ser, um desejo, um sonhar...
termino, dizendo mais uma vez muito obrigado, escreves, sentes, maravilhosamente, é mesmo incrível, digo te em total sinceridade... deves escrever, sim, e muito, para que o mundo, veja a verdadeira beleza do amor, desse universo lindo que tens dentro de ti...
beijinhos e boa noite

Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 42 seguidores

relojes web gratis

.Abril 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. O Fim.. e o renascer.

. Docemente...

. simplesmente caio.

. Os dias escorrem..

. Brisa

. Inspiração

. Só.

. Acordo, e abraço-me.

. Aqui estou...

. onde estás.....? quem és....

Hug
Photobucket