Quinta-feira, 12 de Junho de 2008

Não haverá definição...

Não haverá definição,

no amor, na paixão,

que guardo para ti,

no meu coração.

 

Um pôr-do-sol,

em noites abraçadas,

solidões desnudadas,

lágrimas aparadas.

 

Lugar único, do nada,

praia abandonada,

um recanto intransponível,

o nosso amor imersível.

 

As pedras do trilhar,

terão um apenas pisar,

o meu duplo caminhar,

e o meu colo ao que vais estar.

 

Gémeos no amor,

amantes na dor,

unidos em função,

vivos por mútua razão.

 

Filipe

 

 

publicado por flipe às 18:21
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Estupefacta a 12 de Junho de 2008 às 20:18
Olá Flipe
A dona do teu coração deve ficar muito feliz ao ler este poema. Está muito lindo.
Beijinhos

Maria
De flipe a 12 de Junho de 2008 às 21:33
Olá Maria.

Bg pla visita... mas a verdade é que não existe ainda dona... é um pouco como os cachorrinhos... Dona Procura-se... tou a brincar :)
Muito Obrigado pelos teus elogias, fico mt fliz pelas tuas palavras, e se quiseres poderes oferecer o poema, ou outro qq, a quem tu quiseres.. estás sempre á vontade...

Beijinhos e boa noite

Filipe

Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 42 seguidores

relojes web gratis

.Abril 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. O Fim.. e o renascer.

. Docemente...

. simplesmente caio.

. Os dias escorrem..

. Brisa

. Inspiração

. Só.

. Acordo, e abraço-me.

. Aqui estou...

. onde estás.....? quem és....

Hug
Photobucket